Rede de Proteção de Jornalistas e Comunicadores

No Brasil, jornalistas são vítimas de 3 agressões por minuto nas redes sociais

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

De acordo com o levantamento ‘Violações à Liberdade de Expressão 2021’ foram notificados 4 mil ataques por dia a categoria em postagens no Twitter, Facebook e Instagram

Por: Isabela Alves

No Brasil, houve um aumento de 21,69% no número de profissionais e veículos de comunicação que sofreram algum tipo de ataque em 2021. Foram 230 envolvidos em 145 casos de agressões físicas, intimidações e ofensas. 

Os dados são do levantamento ‘Violações à Liberdade de Expressão 2021’, organizado pela Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert). A maior parte dos ataques aos jornalistas foram ofensas, com 53 casos, seguida das agressões (34) e intimidações (26). 

Foram notificados 4 mil ataques por dia a categoria em postagens no Twitter, Facebook e Instagram. Ou seja, no ano passado foram 3 agressões por minuto. Na maioria dos casos, a motivação para o linchamento virtual foi a cobertura sobre política. 

Em 2021, conteúdos com a combinação das palavras jornalismo, jornalista, imprensa e mídia apareceram em 28 milhões de posts no Facebook, Twitter e Instagram contra 42 milhões do ano anterior e 40,5 milhões, em 2019. 

Por conta do alto número de ataques, pela primeira vez em 20 anos o Brasil entrou para a lista das nações onde ser jornalista é considerado uma atividade insegura. De acordo com o Ranking Mundial de Liberdade de Imprensa, da organização internacional Repórteres sem Fronteiras (RSF), é o quarto ano consecutivo de queda e o país passou da 107ª colocação para a 111ª. 

Para ler o relatório completo, clique aqui. 

Fonte: Jornal Opção

Skip to content