Rede de Proteção de Jornalistas e Comunicadores

Apenas 21% das redações do mundo tem mulheres como editoras

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

No Brasil, a situação é ainda mais alarmante, com apenas 7% das mulheres nos cargos de chefia

Por: Isabela Alves

As redações no mundo continuam restringindo oportunidades para mulheres. A afirmação é da pesquisa “Percentage of female top editors in every market”, promovida pelo Instituto Reuters para Estudos de Jornalismo. 

O levantamento, que analisou a situação de 240 redações dos principais veículos de 12 países, apontou que as mulheres representam 40% dos profissionais na categoria. Apesar da grande presença nas redações, apenas 21% delas são editoras nos 179 veículos no mundo. 

No Brasil, a situação é ainda mais alarmante, com apenas 7% das mulheres nos cargos de chefia.  Em 11 dos 12 mercados, a maioria dos principais editores são homens, inclusive em países onde elas superam o número de  jornalistas em atividade.

É importante ressaltar que em nenhum dos mercados analisados existe um número de mulheres maior do que de homens liderando as redações principais.

O país que apresentou os melhores números foi os Estados Unidos, onde metade das principais redações são lideradas por mulheres. 

Fonte: Fenaj e Media Talks

Skip to content