Rede de Proteção de Jornalistas e Comunicadores

Repórteres da Globo são agredidos durante reportagem na Feira da Madrugada, em SP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Homem utilizou corrente para agredir os jornalistas. O repórter cinematográfico Ronaldo de Souza foi ferido na mão e precisará passar por uma cirurgia

Por: Isabela Alves

Na tarde do dia 2 de março, os jornalistas Renato Biazzi e Ronaldo de Souza, da TV Globo, sofreram uma agressão enquanto estavam produzindo uma reportagem no bairro do Brás, no centro de São Paulo. O agressor não foi identificado. 

Os jornalistas estavam fazendo uma matéria sobre a Feira da Madrugada quando o homem, que estava ao lado de um cão preso a uma corrente, interrompeu o trabalho dos jornalistas com xingamentos e os atacou com a corrente. 

O repórter cinematográfico Ronaldo de Souza foi ferido na mão e precisará passar por uma cirurgia. Não ficaram claras as motivações do agressor e a emissora realizou um boletim de ocorrência contra a agressão no dia seguinte, em 3 de março. 

Em nota, a Globo afirmou que tomará medidas legais contra o agressor. No texto, a emissora ressalta que “repudia com veemência a violência, se solidariza com seus profissionais e adverte mais uma vez que todos aqueles que agridem com declarações o trabalho da imprensa estimulam esse tipo de ato”. 

Em nota, o Governo de São Paulo também repudiou o ataque: “É inadmissível que profissionais de jornalismo sejam alvos de violência de qualquer tipo enquanto exercem suas profissões, pois a liberdade de imprensa é um dos pilares de todas as democracias modernas. O Governo de São Paulo reforça seu compromisso na defesa irrestrita do jornalismo e vai acompanhar de perto as investigações da Polícia Civil”, diz nota assinada pela Secretaria da Comunicação.

Outros dois ataques foram registrados nos últimos 10 dias. No dia 21 de fevereiro, o repórter André Junqueira e o repórter cinematográfico Alexandre Costa, da Globo, foram expulsos de um protesto de policiais em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, pelos próprios manifestantes. As cenas de agressão foram gravadas pelos próprios agressores que festejaram a ação e depois compartilharam os vídeos em grupos de apoiadores no Whatsapp. 

No dia 25 de fevereiro, a repórter Branca Andrade, do SBT Rio, foi intimidada ao vivo por dois homens desconhecidos que a impediram de cobrir uma greve no transporte público do Rio de Janeiro. A repórter só conseguiu concluir a reportagem após acionar a polícia. 

Fonte: Abraji

Skip to content